/notícias o clube

Diagnóstico Diretoria de Obras

  1. Composição da Diretoria
  • 01 gerente de obras, manutenção, higiene e zeladoria (Arquiteto Roberto Tedesco)
  • 01 auxiliar de obras (Nathalia de Oliveira)
  • 33 funcionários da manutenção
  • 47 funcionários da higiene e limpeza

 

  1. Situação atual
  • Conciliar os trabalhos de manutenção e higiene com a necessidade de manter o clube funcionando ao mesmo tempo; muitas vezes o ideal é parar por completo um local de trabalho para atuar de forma mais segura e rápida;
  • As instalações do Ipê são em geral antigas e muitas delas precisam de manutenção severa e até troca;
  • Planejar as atividades rotineiras, pois:
  • Não há um plano diretor do clube ou um cronograma de obras de médio/longo prazo, portanto é ainda mais desafiador fazer um planejamento adequado;
  • Não há sistemas nem softwares de manutenção implementados (com ordens de serviços, por exemplo): isso dificulta enormemente o trabalho do gestor e das equipes; hoje estamos atuando como “apagadores de incêndios” e não conseguimos atuar preventivamente. Além de não planejar, não conseguimos ter informações históricas dos atendimentos das manutenções para melhorarmos a eficácia dos serviços;
  • Não temos histórico formal de manutenções feitas e as respectivas localidades;
  • Não temos na Manutenção e Higiene equipamentos/ferramental modernos e adequados, sendo que os atuais passam mais tempo no conserto;
  • Não temos um plano de inspeções formal estabelecido nas disciplinas de elétrica (mais crítico), rede de gás, hidráulica, poda de árvores, estrutural;
  • Não temos responsáveis técnicos nominados: elétrica, rede de gás, sistema de combate à incêndio, estruturas;
  • Falta de priorização de necessidades: temos histórico de atuar regime mais “pessoalista” onde as primeiras demandas resolvidas eram aquelas que chamavam mais a atenção dos diretores do clube e isso não necessariamente condizia com uma priorização de necessidades;
  • Há uma carência geral de mais processos de gestão no clube;
  • Não há organograma na Diretoria de Obras;
  • Não existe fluxo de reclamações (manutenção) nem de resposta ao associado;
  • Temos um grande índice de faltas de funcionários;
  • Falta de integração entre Diretoria de Obras e Comissão de Obras do Conselho;
  • Falta de comunicação entre os funcionários que compõem a gestão do clube;
  • Falta de autonomia e alçada para os gestores do clube tomarem decisões no dia-a-dia;
  • Orçamento não era compartilhado entre financeiro e diretoria de obras, que por sua vez faziam controles paralelos para saber se estavam cumprindo com as metas orçamentárias;
  • Queixas de rateios de utilidades (água/esgoto, gás e energia) por parte dos concessionários;
  • Falta de aferição periódica dos instrumentos de medição de utilidades;
  • Sistema Proteus não tem todos os módulos funcionando e mesmo aqueles que estão funcionando não tem pessoal com a capacitação correta para operá-lo;
  • Muita sucata e materiais abandonados que não tem mais serventia;
  • Há espaços mal utilizados e mal uso de muitos;

 

  1. Urgências identificadas até o momento
  • Readequações de cabines elétricas: podemos ter um problema sério a qualquer momento;
  • Instalações elétricas abaixo da piscina: precárias, inclusive com risco de choque elétrico;
  • Retrofit elétrico do clube: muitas instalações fora das normas, mal feitas e/ou componentes antigos e obsoletos;
  • Sistema de combate a incêndio: alarme não funciona!
  • Divisão da rede de esgoto e de águas pluviais, o que deve diminuir alagamentos do clube;
  • Bombas piscina: temos somente 1 bomba que funciona; 
  • Piscina juvenil: reparo de todo revestimento;
  • Vazamentos em diversos locais: ginásio principal, vôlei de quadra, ginástica artística, bar do Paulão, squash, entre outros;
  • Vestiários Masculino e Feminino abaixo da piscina aquecida em péssimo estado de conservação;
  • Ginástica artística em local inadequado;
  • Brinquedoteca com umidade e mofo;
  • Escolinha com umidade e mofo;
  • Os banheiros tem um forte odor de esgoto, causados provavelmente pela falta de sifão hidráulico e louças sanitárias obsoletas;
  • Hidrantes e extintores: muitos estão fora de padrão de acesso e/ou má conservação;
  • ALVARÁ: clube está sem alvará;
  • HABITE-SE: clube está sem Habite-se, que depende do alvará;
  • Não havia estudo aprofundado das condições de segurança do trabalho. Exemplo: temos pontos de trabalho em altura em que não havia condições de acesso por falta de apoio e fixação de linhas de vida;

 

  1. Metas 
  • Resolver as urgências acima durante o ano de 2019;
  • Aprovar cronograma de obras biênio 2019/2020;
  • Implementar sistema de gestão de manutenção;
  • Implementar plano de inspeções formal estabelecido nas disciplinas de elétrica (mais crítico), rede de gás, hidráulica, poda de árvores, estrutural e melhorar os existentes (para-raios);
  • Nomear responsáveis técnicos nas disciplinas mais importantes (elétrica, gás, combate à incêndio e estrutura);
  • Definir organograma da Diretoria de Obras;
  • Melhorar integração entre Diretoria de Obras e Comissão de Obras do Conselho;
  • Incentivar melhora de comunicação entre os funcionários que compõem a gestão do clube;
  • Aumentar autonomia e alçada para os gestores do clube tomarem decisões no dia-a-dia;
  • Melhorar informações dos rateios de utilidades (água/esgoto, gás e energia) para os concessionários;
  • Implementar aferição periódica dos instrumentos de medição de utilidades; 
  • Melhorar limpeza geral das áreas de apoio da manutenção, estoque de materiais e almoxarifados;
  • Otimização de espaços mal utilizados;
  • Planejar e contratar obras que valorizem o clube;
  • Equipar os departamentos com maquinários adequados;

 

 

 

 
 
 

Rua Ipê, 103 • Ibirapuera • São Paulo • SP • CEP 04022-005 • Tel. (11) 5574-7255
Copyright © • Todos os direitos reservados